anúncio-texto

terça-feira, 25 de maio de 2010

Viúva, estrangeira e pobre


A notícia da morte do seu filho mais novo chocou Noemi. De acordo com o pensamento de todos os pais ela certamente pensava que não deveria viver para ver a morte dos seus filhos!

Mas a dura realidade vivida por aquela viúva era esta: a família que ela ajudara a criar já não existia. Como familiares restavam-lhe apenas duas noras que tudo apontava que voltariam para a casa de seus pais.

Mas uma delas decidiu ficar. Rute insistiu em ficar com Noemi. Tal atitude significava dizer: "Eu desisto da vida", pois depois de tudo, aquela viúva não tinha nada em que se apaiar; nem salário, nem herança, nem família, e muito menos esperança no futuro. Mas mesmo assim, Rute tomou essa atitude corajosa decidindo ficar ao lado de Noemi por um único motivo: o Deus que Noemi servia.

Rute não somente ouviu falar do Deus de Israel que a sua sogra servia, mas, sobretudo, viu nela as Suas características. Depois de tudo o que havia passado, Noemi era uma mulher forte e determinada; diferente de todas as mulheres que Rute conhecia. Noemi era forte, sábia, benigna, cuidadosa, amável; tudo o que a sua nora mais desejava ser.

Chegando o momento da decisão, Rute escolheu o caminho mais difícil. Ela deveria decidir se valtaria para casa de seus pais e para seus antigos hábitos ou se iria com Noemi para uma terra estranha, onde seria pobre e desprezada por ser estrangeira, e onde não teria esperança de ser feliz a nível sentimental, pois era uma mulher viúva. Rute escolheu a última opção.

Certamente, todos deveriam ter pensado que ela estava louca, mas Rute estava convicta de que tinha feito a escolha certa, já que aquela serai a única forma de se aproximar do Deus Vivo que ela via através da sua sogra.

Rute estava pronta para sacrificar o seu futuro, a sua família, a sua posição, e a sua vida inteira, só para ter a oportunidade de não só pertencer a Deus, como também poder servi-lo muito.

Não há dúvida de que Deus encaixou Rute perfeitamente em Seus planos. Ela veio a ser a avó do rei Davi - que, por falar nisso, está na linhagem do Rei dos Reis (Jesus Cristo).

Rute é também uma da poucas mulheres que tem um livro na Bíblia só para contar a sua história.

Está bem claro que Rute não era uma mulher de sorte! Ela somente tomou a decisão certa, que foia mais difícil, embora esta certamente lhe tenha doído muito. Ora, a decisão certa é precisamente aquela que por vezes pode até parecer louca e inadequada. Mas a fé é isto mesmo - o caminho mais desconfortável. Fé, requer isto mesmo de nós: um pulo no escuro; um passo para o desconhecido.

Quando Rute chegou a Israel, ela não tinha nada em que se apoiar, a não ser a sua amizade com Noemi e o seu Deus.

Se ela tivesse riquezas e popularidade, qualquer um poderia pensar que tivesse sido isso que a ajudou. Mas não. Ela não tinha nada a seu favor. Contudo, seria ela amargurada por isso? De maneira nenhuma! Na verdade, ela veio a sobressair entre outras jovens que tinham o que ela não tinha e as pessoas começaram a comentar sobre Rute por toda a cidade. Que mulher incrível!
Deus abençoou a sua vida sentimental, deu-lhe uma família, prosperou-a tremendamente, e fez com que o seu nome fosse conhecido por todo o mundo e continuasse a ser falado até aos dias de hoje. Pode alguma pessoa ser mais abençoada?

Texto retirado do Blog da Dª Cristiane Cardozo

0 comentários:

Postar um comentário

 
2009 Template Bucólico|Templates e Acessórios